Sábado, 19 de Novembro de 2005

Despida

AndreBrito6.JPG 


Depois de sorrir ao espelho para mim própria, inocentemente mergulho neste piano. Está a cantar-me a alma. Não estou triste mas deixo cair uma lágrima, maravilhada com a melancolia da vida e por ter os músculos finalmente descontraídos.
É tão bom…o mundo não parou mas já não há barulho. Somente existo eu, e este piano…arrepio-me tanto que quase tremo.


Solto o cabelo que me cai pelas costas e tiro a maior parte da roupa.


Calmamente, danço ao som deste gemido, tão frágil. Balanço os braços e movo o corpo pelo quarto, tal louca feliz por nada ter sentido. Embalo o ar, e deixo-me ser, sem ter de pensar.
Sorrio e estou a chorar. Sorrio por chorar…porque sinto mágoa e estou alegre. Choro por sorrir enquanto me afundo em notas desenhadas no ar, de formas sublimes e frias.


Choro por tudo. Choro porque já chorei, porque já ri, porque dancei, porque por vezes permaneço imóvel durante horas, porque sou de gelo ou ardo, porque sou frágil e forte. Choro porque sinto saudade, porque cresci…porque a confusão reina…choro por mim, sem pena. Um sentimento estranho de existência. “Estou aqui”, penso. E não entendo nada, mas não faz mal.
Sorrio por tudo o que chorei, por tudo o que ri. Por tudo o que senti…paixão, ódio, dor, alegria…tão comum…sorrio por ter conseguido não sentir absolutamente nada em certos momentos de vácuo. Sorrio porque me apetece.


Sinto-me calma, livre, plena, do tamanho do mundo. Podia correr para sempre se esta melodia fosse cantada lá fora pelo vento, e tudo o que era bonito podia também ser feio, ou bonito…ou o que é feio podia ser belo, ou mesmo feio…não importa. Não importa mesmo. E não faz mal.
Porque eu estou a sorrir e a chorar…e estou a delirar com a sensação.
O coração não pára de saltitar, como se também ele sorrisse e chorasse…


Encantada. Vou correr e dançar neste quarto que é o meu mundo, até não poder mais, e ter de parar. E depois, vou aqui continuar a dançar e a sorrir enquanto choro, porque estou feliz de nada fazer sentido e eu não me importar.


 


 



(Imagem de André Brito)


publicado por Rute às 01:26
link do post | Your Thoughts | favorito
45 comentários:
De Orfeu a 27 de Dezembro de 2005 às 12:28
Um beijinho de um Feliz Natal e de um optimo Ano Novo de 2006...de Amor e Saude (não peço nem desejo mais nada nem para mim, nem para ninguem)

Um beijo


De shakermaker.blogs.sapo.pt a 23 de Dezembro de 2005 às 12:14
Ora viva Cara Vampiria... Passei por aqui para lhe desejar Boas Festas e acima de tudo, melhores que as minhas. Para mim, o Natal é sempre mau pois tenho que comer bacalhau. Não é por não gostar, mas porque raio tenho que comê-lo cozido se afinal há 1001 maneiras de o cozinhar?! Depois tenho que levar com as broas e a bela da filhós, o arroz doce da minha tia e o pão-de-ló das minhas avós. Detesto lampreia de ovos e odeio rabanadas, mas até gosto de bolo rei por causa das frutas cristalizadas. Antes de começar a refeição fazemos uma oração, mas como não sei rezar limito-me a mexer a boca para acompanhar. Por mais que tente escapar não há mesmo volta a dar, sou eu que acendo a lareira e ponho a lenha a queimar. Já cá faltavam as meias da Sport com as raquetes a condizer, são sempre as piores prendas que me podem oferecer. Depois há os Old Spice e os perfumes da Adidas, que recebo todos os anos das minhas tias queridas. Mais uns pares de cuecas azuis para estrear no ano novo, porque as minhas avós fazem questão de manter esta tradição. A minha mãe desilude-me com as suas gravatas aos quadradinhos, e a minha madrinha para condizer, oferece-me camisas com quadrados nos colarinhos. Por mais que não goste, tenho que estar presente... Mas todos os anos o meu Natal é sempre deprimente. Cara Vampiria, espero que o seu Natal seja bem melhor do que o meu, Boas Festas. Um abraço... SHAKERMAKER


De Tucha Santos a 15 de Dezembro de 2005 às 15:56
Muito bonito este artigo. Que bom seria se cada um de nós partissemos também, despidos para a vida! Talvez começassemos a ver o mundo de forma diferente, sem máscaras!
Um beijo terno e os meus votos de um Bom Natal e Feliz 2006.


De Elsita a 15 de Dezembro de 2005 às 15:08
Ainda assim?!?! Ao menos põe um gorrito de pai-natal, quer dizer: de Mãe-Natal, pois é tempo de Natal...e aparece se fôr por bem. Não apareceste ontem no meu cantinho, não me conheceste...Oh!!!!Beijócas


De Ninfa a 12 de Dezembro de 2005 às 19:28
Tão sensual.... Ai como se está aqui tão bem... Parabéns pelo blog!
abraço


De shakermaker.blogs.sapo.pt a 11 de Dezembro de 2005 às 02:43
Ora viva Cara Vampiria... Tem sido assim desde o inicio, sempre despida de clichés, de tudo o que é banal. A sua escrita é nua, pura e verdadeiramente sua. Gosto imenso da sua sensibilidade à flôr-da-pele e da sua integridade como mulher. Não importa gostar de ler sobre alguém que não se conhece ou se o que conta realmente acontece, mas vale bem a pena saber que existe alguém que desta forma sente e descreve-o para toda a gente. Sabe, eu venho sempre aqui quando quero realmente ler algo que me desperte a atenção. Que me faça voltar atrás no texto porque fiquei preso em determinadas palavras ou que me faça tentar perceber algo que acabei de ler pois há certos textos que não importa compreender. Mais do que me despertar a curiosidade, a sua leitura dá vontade... De voltar a ler ou de voltar noutra altura também para ler. Um abraço... SHAKERMAKER


De Orfeu a 1 de Dezembro de 2005 às 23:01
Que bom sentirmo-nos assim, despir tudo o que nos vai no corpo, limpar a Alma e rodopiar alegremente no nosso quarto…mas e quando pararmos, querermos agarrar uma cadeira a um canto e todo o mundo nos rodopiar na mente…caímos no chão desamparados, continuamos a dançar ou tentamos sair sem roupa do nosso quarto...Não sei, apenas sei que o teu texto está maravilhoso e fez-me pensar muito.
Um beijo


De Miss Lust a 29 de Novembro de 2005 às 22:19
Xiiii hoje deu-me uma vontade de vir aqui!! Também é bom relerte. Sabes acabamos por "ver" aquelas pequeninas "coisas" que não tinhamos reparado. Fica bem, com um beijo enorme


De AXistomuitoestranho a 29 de Novembro de 2005 às 10:20
Esse tal de André Brito sabe da poda...

Desculpa estar obcecado (ou não fosse gajo...), mas que bonitas são as fotos que acompanham os textos... :)

Beijinhos in the name of AXistomuitoestranho.


De ferrus a 29 de Novembro de 2005 às 02:43
A dualidade, a alegria e a mágoa, o sorrir e o choro e um denominador comum....a libertação pela música. Quem sou eu para comentar esta magia: a tua magia :-) Tu enches-me os sentidos!!!!! Esquece o comentário e aceita somente os enormes beijos que te deixo!!! Bjitos, Vampíria


Comentar post

.Me, Myself & I


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.Pesquisar neste blog

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Thoughts

. Fim da linha

. Fantoches

. Tempo

. Cartas

. Despida

. Espelhos

. Encantamento

. A caminho

. Monstros

. Nós

. Durante a madrugada

. Ao outro dia

. Rever

. Acordar de Novo

. Madeira e Carmim

. Perturbações

. Memórias Recentes

. Sede

. Recordações num pedaço de...

. De novo, cansa

. Sentimentos, confusão e l...

. Frenesim

. Espasmos

. Momentos de Amarras

. Brisa

. Palavras

. Nasci de novo

. Uma vasta e densa forma d...

. Strings

. Uma e Só

. Esgrima

. The taste of "Something i...

. Purpúra

. Corpo

. Sarilhos

. Quando...

. Quando se começa a perder...

. Quando se começa a perder

. Extase

. Aflição

. Estagnação

.Thought Moments

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

SAPO Blogs

.subscrever feeds