Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2006

Cartas

SaschaHuettennhain.JPG







De uma maneira que podia mas em nada faz lembrar os bons costumes, enviaste-me uma carta em branco assinada a desprezo. Não tinha remetente, de nada me valia responder-te em branco de igual modo e assinar a compasso, porque não irias sequer recebê-la.
É doloroso ter páginas e páginas sem fim sem nada para ler…mergulha-se num estado hipnótico neste branco de espuma do mar, que parece de raiva.
Então deixo-me levar pela tentação de um lápis acabado de afiar e escrevo tudo aquilo que queria ler. Escrevo até a exaustão da realidade quando me apercebo que por mais que escreva, está na mesma tudo em branco…carrego com mais força, até partir o espinho frágil de carvão…
Escreve-se na solidão memórias de momentos de companhia, de nada me serve tudo isto…a memória foi curta. Culpa da mente infantil que teima em criar e fantasiar, e breves instantes tornam-se então repletos, eufóricos, quase parecem não caber no seu próprio tempo…
E não cabem…e não passam de contos que gostávamos que fossem mas não são.

Revoltam-se as entranhas e encontra-se a última réstia de coragem ou falta de bom senso…a surpresa acontece quando provavelmente já não devia, permitindo que se instale uma confusão tremenda em cada poro do corpo…logo agora que as promessas já estão feitas… (mas não estavam prontas a serem cumpridas).

Assusto-me com a facilidade com que tudo se quebra…somos uma fina camada de gelo que pica passo a passo outra camada de gelo ainda mais ténue. Resta-nos esperar que mais uma vez o tempo cure tudo, e dessa forma volte o Inverno para podermos gelar e recomeçar, cada vez mais frios e mais finos.
Sou eu a bailarina pendurada do céu por fio de coco como uma marioneta, que dança articulada como quem voa numa pista sem princípio nem fim…danço explorando todos os ângulos, todos os movimentos, todos os sentidos, com e sem frenesim, suave ou obtusa.
Tento num esforço interminável que todo o meu calor sirva para derreter este gelo…mas não está ao meu alcance. Por vezes caio redonda no chão, desajeitada, mas levanto-me quase sempre…o embaraço já ficou algures perdido no tempo e a face nunca ficou rosada.

Podia debater com ódio esta sentença gelada de ter de dançar sozinha neste lugar de fantasia, mas não. Aprendi a gostar deste espaço…é branco, é frio, não se adivinha o seu início nem o seu fim, é largo, extenso, é intemporal…é só meu.






(Imagem de Sascha Huettennhain)

publicado por Rute às 16:49
link do post | favorito
De http://manefta.blogs.sapo.pt a 26 de Março de 2006 às 16:32
Minha querida desculpa não ter vindo logo, mas foi mesmo por falta de tempo, pois sabes que adoro o que escreves, adorei este texto, mais uma vez as letras e as palavras agrupam-se e fluem como se já tivessem nascido assim. Por vezes damo-nos conta que estados que nos provocavam dor já nao o fazem e que afinal até passaram a ser o nosso lugar seguro. Um grande beijo


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.Me, Myself & I


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.Pesquisar neste blog

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Thoughts

. Fim da linha

. Fantoches

. Tempo

. Cartas

. Despida

. Espelhos

. Encantamento

. A caminho

. Monstros

. Nós

. Durante a madrugada

. Ao outro dia

. Rever

. Acordar de Novo

. Madeira e Carmim

. Perturbações

. Memórias Recentes

. Sede

. Recordações num pedaço de...

. De novo, cansa

. Sentimentos, confusão e l...

. Frenesim

. Espasmos

. Momentos de Amarras

. Brisa

. Palavras

. Nasci de novo

. Uma vasta e densa forma d...

. Strings

. Uma e Só

. Esgrima

. The taste of "Something i...

. Purpúra

. Corpo

. Sarilhos

. Quando...

. Quando se começa a perder...

. Quando se começa a perder

. Extase

. Aflição

. Estagnação

.Thought Moments

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

SAPO Blogs

.subscrever feeds