Sábado, 21 de Maio de 2005

Madeira e Carmim

NBelo.JPG


 


            A rotina de ser todos os dias é exaustiva. Já quase me caem gotas de suor pela testa abaixo e estou sem me mover há horas…provavelmente uma vontade inconsciente de testar a minha capacidade de silêncio ou apenas parvoíce.


                  Não…não estou a falar de tristeza, nem muito menos estou triste. Será que deriva daí o espanto? A sinceridade obriga-me a dizer que não sei e é isso que me intriga.


                 Pouco me apetece pensar, estar, rir, chorar, ouvir, sentir…hoje simplesmente não me apetece nada. Tanto faz se estou sozinha ou acompanhada…estou calada, e se vierem ter comigo não esperem resposta à pergunta sobre o que estou a pensar. Porque não estou.


           Hoje abandonei-me.


               Abandonei a libido, a arte, a paixão, o cansaço, a vontade, a coragem, as lágrimas e as gargalhadas.


           Sinto-me mal sem me sentir.


               Com os olhos abertos ou fechados, inerte por uma quantidade incrível de horas, há imagens que me invadem, estranhas. Esta estúpida inércia, não me permite agora tirar qualquer sentimento acerca nem através delas…talvez mais tarde…? Logo se vê…


                São mulheres de peito rasgado, com asas enormes nas costas e dedos articulados. Têm lábios de madeira pintada a carmim, os olhos ofuscantes, maçãs do rosto salientes mas pálidas. Mastigam o ar a cada passada, lenta, morna. Usam vestidos rasgados e percebo-lhes um sexo nu, húmido e sabido.


           Afastam-se e voltam…afastam-se e voltam…parece-me uma dança ou ritual.


                 Só me incomoda não pararem de olhar para mim, mas não me apoquenta. Estou tão pouco interessada nelas que as olho de soslaio e até parece que elas percebem isso…(espero continuar a ter consciência que isto é tudo imaginação minha…).               


                 Foram embora as minhas deusas de lábios de madeira e carmim.


                Lembrei-me agora dos loucos que todos os dias vagueiam à minha porta…tenho medo que se aproximem de mim…não suporto ser tocada por desconhecidos. Mas observá-los, gosto.


              Também gosto de observar as pessoas atarefadas em correrias desmedidas para apanharem o metro, ou a perderem a paciência numa fila de trânsito. Correm tanto que não vêem o que lhes corre ao lado…toneladas de vidas e histórias todas semelhantes que me encantam ao longe numa janela de quarto andar.


                Talvez seja melhor mover-me enquanto te espero. Apercebi-me agora que isto também é uma espera e confesso que fiquei enjoada.                


                 É preferível ficar quieta, quase sem respirar.


                Que venham de novo as deusas com lábios carmim. Que me ofusquem com o olhar e me rasguem o peito para também eu poder mastigar o ar a cada passada lenta, morna, com o sexo nu, húmido, sabido, e os lábios de madeira pintados de púrpura.


 

(Imagem de Nuno Belo)

publicado por Rute às 03:31
link do post | favorito
De Marc Calicis a 25 de Maio de 2005 às 02:39
Fiquei honrado pelo teu elogio.
Retribuo o teu beijinho.
mc_viladoconde@htomail.com


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.Me, Myself & I


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.Pesquisar neste blog

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Thoughts

. Fim da linha

. Fantoches

. Tempo

. Cartas

. Despida

. Espelhos

. Encantamento

. A caminho

. Monstros

. Nós

. Durante a madrugada

. Ao outro dia

. Rever

. Acordar de Novo

. Madeira e Carmim

. Perturbações

. Memórias Recentes

. Sede

. Recordações num pedaço de...

. De novo, cansa

. Sentimentos, confusão e l...

. Frenesim

. Espasmos

. Momentos de Amarras

. Brisa

. Palavras

. Nasci de novo

. Uma vasta e densa forma d...

. Strings

. Uma e Só

. Esgrima

. The taste of "Something i...

. Purpúra

. Corpo

. Sarilhos

. Quando...

. Quando se começa a perder...

. Quando se começa a perder

. Extase

. Aflição

. Estagnação

.Thought Moments

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

SAPO Blogs

.subscrever feeds