Sexta-feira, 24 de Junho de 2005

Ao outro dia

ElizabethZedzian1.jpg Refugio-me na penumbra de uns estores fechados a esconder um dia cheio de sol. Dou passadas largas numa confusão familiar e apetece-me que seja só isto por momentos. O escuro, a melodia, e eu. Um sitio quente. Preciso de algo mais pequeno e escondo-me debaixo da secretária. Isto é tudo quanto quero sentir. Cravo as unhas nos braços e soluço baixinho…já sinto o sabor amargo do que sou. Pecados inventados pela minha infantilidade, que sorriu para o que não devia…da maneira que não devia…para agora saber o que não devia. Rasgo os tecidos enquanto se preparam para a festa. Nem se lembram de mim aposto. Ficou-me o cheiro da brisa que pensava ter…a amargura pesa agora e a desilusão que pensava já não poder encontrar nesta idade. Caminhei vagarosamente para tudo isto…a culpa é minha, nem sei porque me queixo. Alguém com leviandade atou uma corda ao meu peito e puxa-me violentamente contra o chão. Estou massacrada, dorida, e não consigo desfazer o nó. Neste momento, vejo o oceano como nunca o tinha conseguido ver…apetece-me fazer parte dele e como por magia, fecho os olhos cansados e consigo. Sei que não há-de vir, sei que não me conseguirei fazer ouvir. Tumultuoso acordar este do dia a seguir. O levantar é penoso e custa acreditar que é mesmo isto. Sem máscaras, sem disfarce, sem mais com que sonhar. Lembro-me de mim, feliz a entender tudo como me fazia bem…ou entendi mal de novo? Que raio!!! Porquê esta incerteza…? Pensei que já tinha secado a mais fácil forma de falar…mas não…ainda caem lágrimas. Verdadeira, não me levanto…o luto tem de ser feito e eu fá-lo-ei. Enterrada em cigarros, cinzas, álcool. Os que me deram a natureza sempre sussurraram, e não erravam, que esta era a minha maneira de estar triste e desabafar…não se enganaram, nunca. São a minha melhor companhia, com um sorriso e os braços sempre abertos, para eu não falar como sempre, e poder não chorar à vontade. Os meus olhos brilham para o chão...custa erguê-los…o inchaço provocaria perguntas a que não posso responder. Vão chegar pessoas. Vou ter de me vestir e inventar um sorriso. Afinal está tudo bem e isto não passou de um sonho mau…pode ser que a mão que desenha este sorriso encontre a inspiração num verdadeiro que já esteve esboçado mas foi apagado, ontem. À noite. Uma tela para não esquecer como pode parecer que D. Sebastião vem lá, e não passa de uma neblina mais densa. 


publicado por Rute às 18:11
link do post | Your Thoughts | favorito
31 comentários:
De Me a 30 de Junho de 2005 às 23:51
Escreves de uma forma sublime o sofrimento que é de muitos, é a primeira vez que te escrevo, mas leio sempre, e pergunto-me "Quem és tu?"
Um beijo. http//trabalhosdobrados.blogs.sapo.pt
Mãe


De Ritinha a 30 de Junho de 2005 às 22:43
Obrigada pela visita.
Gostei muito do teu blog.


De alminha a 30 de Junho de 2005 às 03:19
...É SEMPRE UM PRAZER VISITAR E SER VISITADA POR PESSOAS QUE TÊM O DOM DA PALAVRA :) OBG E VOLTA SEMPRE


De ferrus a 29 de Junho de 2005 às 22:12
Fico sempre com a esperança que tudo não passe de ficção! Fico com a esperança que seja um dom teu escreveres sobre a dor que não existe! Fico sempre com a esperança que nada do que escreveste de uma maneira tão forte, intensa, magnífica, é para além de uma mentira! Porque se não for...estou solidário contigo! Bjitos, Vampíria!!!


De mulherde30 a 29 de Junho de 2005 às 16:06
há quanto tempo não vinha aqui deliciar-me com as tuas palavras...obrigada pelas sensações que deixas escorrer por entre os dedos.


De tazaroteno a 28 de Junho de 2005 às 21:18
Por acaso es amante do btt


De Milocas a 28 de Junho de 2005 às 20:25
Vim retribuir a visita e agradecer as tuas palavras* :)

Gostei do teu blog (tenho mesmo que o ler com mais tempo)...

Beijokas* e parabéns :)


De Plantacarnivora a 28 de Junho de 2005 às 14:13
Vim ver se havia um novo post...mas!! Então deixo beijócas e boa semaninha


De Snia a 28 de Junho de 2005 às 13:33
Qual buraco da fechadura?

Beijinho grande para ti : )


De alminha a 28 de Junho de 2005 às 00:12
UMA ALMA,
UMA DOR,
UMA PALAVRA,
UMA PENA,
UM SOL,
ALGO QUE É LEVE COMO O VENTO
...O SONHO!!!
SORRI HOJE...PARA DENTRO DE TI :)


Comentar post

.Me, Myself & I


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.Pesquisar neste blog

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Thoughts

. Fim da linha

. Fantoches

. Tempo

. Cartas

. Despida

. Espelhos

. Encantamento

. A caminho

. Monstros

. Nós

. Durante a madrugada

. Ao outro dia

. Rever

. Acordar de Novo

. Madeira e Carmim

. Perturbações

. Memórias Recentes

. Sede

. Recordações num pedaço de...

. De novo, cansa

. Sentimentos, confusão e l...

. Frenesim

. Espasmos

. Momentos de Amarras

. Brisa

. Palavras

. Nasci de novo

. Uma vasta e densa forma d...

. Strings

. Uma e Só

. Esgrima

. The taste of "Something i...

. Purpúra

. Corpo

. Sarilhos

. Quando...

. Quando se começa a perder...

. Quando se começa a perder

. Extase

. Aflição

. Estagnação

.Thought Moments

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

SAPO Blogs

.subscrever feeds